Previous
Next

Instituições de promoção à igualdade racial buscam dados para censo na Penitenciária de Uberaba

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Representantes da Coordenadoria de Políticas de Igualdade Racial e do Conselho Municipal de Promoção à Igualdade Racial (Compir) estiveram na Penitenciária Professor Aluizio Ignácio de Oliveira, em Uberaba, no início do mês de agosto. A proposta da reunião foi buscar dados para o censo racial com recorte no público recluso neste espaço.

“É uma forma de fortalecer nosso censo com informações para direcionamento na construção de políticas públicas afirmativas”, explicou o coordenador de Políticas de Igualdade Racial, Reginaldo da Silva.

O diretor de Atendimento e Reintegração, Guilherme Augusto, recebeu o grupo, que conheceu a parte educacional do local. A instituição oferece educação básica aos detentos e, atualmente, da alfabetização ao Ensino Médio, são 200 alunos. Atividades de artesanato também fazem parte da grade, além da horta cultivada pelos detentos. Os alimentos são destinados a instituições e comunidades carentes.

“Percebemos que o trabalho de reintegração do preso é feito de forma humanizada. Um espaço com atividades que proporcionam o bem-estar físico, emocional e espiritual do ser que tem a oportunidade de se reencontrar com a vida restaurada”, afirmou a presidente do Compir, Maria Abadia Vieira da Cruz.

Também são oferecidos atendimentos médico, odontológico, psicológico e de práticas jurídicas, com assistência em rede que promove o bem-estar. Outra ação é a produção e a doação de mais de 50 mil máscaras feitas pelas detentas da penitenciária no início da pandemia.

A força de trabalho é oferecida a 250 detentos como oportunidade de terem a pena reduzida, além de ser uma oportunidade de conhecimento que poderá gerar emprego ao final da pena.

“A visita nos proporcionou uma aula de cidadania em favor da formação humana cidadã destes aprisionados”, finalizou Reginaldo.

Confira outras notícias: