Previous
Next

Polo de Inovação IFTM e Grupo Vitae assinam projeto de R$360 mil para desenvolvimento de inovação tecnológica no setor agrícola

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Laboratórios do IFTM Campus Uberaba (vista externa)

Inovação tem potencial para utilização em programas de manejo integrado de pragas

O Polo de Inovação IFTM e a Unidade EMBRAPII Soluções Agroalimentares informam, com satisfação, a assinatura do Acordo de Parceria com o Grupo Vitae LTDA para desenvolvimento de produtos e processos para produção vegetal e manejo de pragas.

De acordo com o pesquisador responsável pelo projeto, professor Robson Thuler, a agricultura é altamente dependente de alternativas para manejar pragas nas lavouras, tendo em vista que estas causam elevado impacto sobre a produção, podendo acarretar até a perda total da área cultivada. Neste sentido, o projeto visa desenvolver bioinseticida, 100% nacional, sustentável e ecologicamente correto, para o controle das lagartas que afetam diferentes culturas como, por exemplo, milho, algodão e soja.

Thuler observou que, para as culturas citadas, constatam-se ocorrências de populações cada vez maiores, de difícil controle e que afetam diretamente a produtividade das lavouras. O produto vem agregar sobremaneira a cadeia produtiva agrícola, por ser altamente específico e praticamente inofensivo ao ambiente e organismos não-alvo.

Será investido neste projeto um montante de R$360.837,00, sendo 33% do valor financiado pela EMBRAPII, 10% pelo Grupo Vitae, 23% pelo SEBRAE (por meio de parceria com a EMBRAPII) e 33% pelo Polo de Inovação IFTM.

Segundo a diretora geral do Polo de Inovação IFTM, professora Fernanda Jardim, a parceria entre EMBRAPII e SEBRAE viabiliza o fomento e a promoção de projetos de pesquisa e inovação desenvolvidos pela Unidade EMBRAPII Soluções Agroalimentares para microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas nacionais.

A aplicação do produto em questão trará ganhos em diversos agroecossistemas como o da soja, do algodão, do feijão, dentre outros em que há ocorrência da praga alvo. A inovação pretendida abre portas para a obtenção de novas alternativas biológicas de controle como a aplicação de microrganismos, com potencial para utilização em programas de manejo integrado de pragas agrícolas.

Prof. Dr. Robson Thuler, pesquisador responsável pelo projeto

Confira outras notícias: